Menssagem de erro

  • Deprecated function: Required parameter $arg follows optional parameter $path em include_once() (linha 1439 de /var/www/html/portal/includes/bootstrap.inc).
  • Deprecated function: Required parameter $arg follows optional parameter $path em require_once() (linha 342 de /var/www/html/portal/includes/module.inc).

Recomendações provisórias para o uso da vacina AZD1222 (ChAdOx1-S [recombinante]) contra a COVID-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca. Orientação provisória.10 de fevereiro de 2021

Esta orientação provisória foi desenvolvida com base na recomendação emitida pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE, sigla em inglês), em sua reunião extraordinária de 8 de fevereiro de 2021. Foram coletadas as declarações de interesses de todos os colaboradores externos, avaliadas quanto a quaisquer conflitos de interesse. Os resumos dos interesses relatados podem ser encontrados no site da reunião do SAGE e site do Grupo de Trabalho do SAGE. As recomendações provisórias se aplicam à vacina AZD1222 (ChAdOx1-S [recombinante]) contra a doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19), desenvolvida pela Universidade de Oxford (Reino Unido) e AstraZeneca, assim como às vacinas ChAdOx1-S [recombinante] contra a COVID-19, produzidas por outros fabricantes que dependem dos dados clínicos principais da AstraZeneca, após demonstrar equivalência em sua revisão regulatória e entrar na lista de uso emergencial (EUL, sigla em inglês para (Emergency Use Listing) da OMS. A orientação baseia-se em evidências resumidas no documento de referência sobre a vacina AZD1222 contra a COVID-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca, e no documento de referência sobre a doença COVID-19 e vacinas. Os dois documentos estão disponíveis na página SAGE Covid-19: httpspublic://p1f112a9671bno2308s0jhg3hl4.jpgwww.who.int/groups/strategic-advisory-group-of-experts-on- immunization/ covid-19-materials.

Acesse o documento aqui

Recomendações provisórias para o uso da vacina ChAdOx1-S [recombinante] contra COVID-19. Orientação provisória. Publicado pela primeira vez em 10 de fevereiro de 2021. Última atualização em 30 de julho de 2021

Esta orientação provisória foi desenvolvida com base na recomendação emitida pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE, sigla em inglês), em sua reunião extraordinária de 8 de fevereiro de 2021 e atualizada em 21 de abril e 30 de julho de 2021. Um sumário das atualizações é apresentado em uma tabela no final deste documento. Estas recomendações provisórias1 se referem a um grupo genérico da vacina COVID-19 [ChAdOx1-S (recombinante)], todas baseadas nos principais dados clínicos da AstraZeneca para avaliação regulatória da AZD1222, e são autorizadas pelo procedimento da lista de uso de emergência da OMS. Os nomes comerciais mais comumente usados são vacina AstraZeneca COVID-19, Vaxzevria e COVISHIELD. Consequentemente, essas vacinas são consideradas totalmente equivalentes, mesmo se produzidas em local de fabricação diferente ou com nome de produto diferente, e estas recomendações provisórias se aplicam universalmente a todas as vacinas ChAdOx1-S.A orientação é baseada na evidência inicial resumida no Documento de referência sobre a vacina AZD1222 contra a COVID-19 desenvolvido pela Oxford University e pela AstraZeneca e no Documento de referência sobre a doença COVID-19 e vacinas.

Acesse o documento aqui

Recomendações provisórias para o uso da vacina Janssen Ad26.COV2.S (COVID-19). Orientação Provisória. 17 de março de 2021

Esta orientação provisória foi desenvolvida com base na recomendação emitida pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas (SAGE) em Imunização, em sua reunião extraordinária de 15 de março de 2021. Foram coletadas as declarações de interesses de todos os colaboradores externos, sendo elas avaliadas quanto a quaisquer conflitos de interesse. Os resumos dos interesses relatados podem ser encontrados no site da reunião do SAGE e site do Grupo de Trabalho do SAGE. A orientação baseia-se em evidências resumidas no Documento de referência sobre a vacina Janssen Ad26.COV2.S (COVID-19), e no Documento de referência sobre a doença COVID-19 e vacinas. Os dois documentos estão disponíveis na página SAGE Covid-19: www.who.int/groups/strategic-advisory-group-of-experts-on-immunization/c....

Acesse o documento aqui

Anexos às recomendações de uso da vacina Sinovac-CoronaVac contra COVID-19. Classificação de evidências. Tabelas de evidências para recomendação. 24 de maio de 2021

Anexos às recomendações de uso da vacina Sinovac-CoronaVac contra COVID-19.Os Anexos 1-6 contêm tabelas que resumem a classificação das recomendações, das avaliações, do desenvolvimento e das análises (GRADE). Os Anexos 7-9 contêm as tabelas do esquema de evidências para recomendação do SAGE (tabelas ETR). As tabelas ETR são baseadas no DECIDE Work Package 5: Estratégias para comunicação de evidências para orientar as decisões sobre intervenções nos sistemas de saúde e na saúde pública. Evidência para uma recomendação (para uso em debate de orientação) (www.decide-collaboration.eu/, acessado em 11 de janeiro de 2021).

Acesse o documento aqui

Roteiro do SAGE OMS para a priorização do uso de vacinas contra a COVID-19 no contexto de uma oferta limitada. Versão 1.1. 13 de novembro de 2020

Dada a urgência e os efeitos abrangentes da pandemia pela COVID-19, o SAGE desenvolveu uma abordagem para ajudar a informar a deliberação sobre a gama de recomendações que podem ser adequadas em diferentes condições epidemiológicas e condições de oferta de vacinas. O consenso do SAGE é que as evidências atualmente disponíveis são muito limitadas para permitir quaisquer recomendações quanto ao uso de qualquer vacina específica contra a COVID-19 no momento (7 de outubro de 2020). Este documento deve ser considerado como um Roteiro para fins exclusivos de planejamento. Este Roteiro baseia-se no Modelo de valores do SAGE OMS para a alocação e priorização da vacinação contra a COVID-19. O Modelo de Valores listou mais de 20 subgrupos populacionais que antecipariam um ou mais de seus princípios e objetivos caso o uso da vacina precisasse ser priorizado devido à oferta limitada. O Modelo de Valores não classificou os subgrupos em nenhuma ordem. As recomendações para grupos prioritários específicos, no que tange cada produto vacinal à medida que for sendo autorizado para uso, exigirão a integração desses princípios éticos detalhados no Modelo de Valores com evidências e informações sobre: i) o status da pandemia na área de implementação proposta (isto é, a situação epidemiológica em termos do grau de transmissão contínua do coronavírus que causa a síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2) e a carga de COVID-19); ii) a quantidade e o momento da oferta e a disponibilidade da vacina, respectivamente; iii) características específicas do(s) produto(s) vacinal(is) disponível(is); e iv) a avaliação de risco-benefício para os diferentes subgrupos populacionais no momento em que a vacinação estiver sendo considerada para implantação; bem como outros critérios padrão usados no desenvolvimento de recomendações do SAGE.

Acesse o documento aqui

Anexos às recomendações de uso da vacina Sinovac-CoronaVac contra COVID-19. Classificação de evidências. Tabelas de evidências para recomendação. 24 de maio de 2021

Anexos às recomendações de uso da vacina Sinovac-CoronaVac contra COVID-19.Os Anexos 1-6 contêm tabelas que resumem a classificação das recomendações, das avaliações, do desenvolvimento e das análises (GRADE). Os Anexos 7-9 contêm as tabelas do esquema de evidências para recomendação do SAGE (tabelas ETR). As tabelas ETR são baseadas no DECIDE Work Package 5: Estratégias para comunicação de evidências para orientar as decisões sobre intervenções nos sistemas de saúde e na saúde pública. Evidência para uma recomendação (para uso em debate de orientação) (www.decide-collaboration.eu/, acessado em 11 de janeiro de 2021).

Acesse o documento aqui

Recomendações provisórias para o uso da vacina ChAdOx1-S [recombinante] contra COVID-19 (vacina AstraZeneca COVID-19 AZD1222, SII Covishield, SK Bioscience). Orientação provisória atualizada em 21 de abril de 2021

Esta orientação provisória foi desenvolvida com base na recomendação emitida pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE, sigla em inglês), em sua reunião extraordinária de 8 de fevereiro de 2021 (1) e atualizada em 21 de abril de 2021. Foram coletadas as declarações de interesses de todos os colaboradores externos, sendo elas avaliadas quanto a quaisquer conflitos de interesse. Os resumos dos interesses relatados podem ser encontrados no site da reunião do SAGE e no site do Grupo de trabalho do SAGE. Estas recomendações provisórias referem-se a um grupo genérico de vacinas ChAdOx1-S [recombinantes] contra COVID-19, que são produzidas por diferentes fabricantes (AstraZeneca AZD1222-Vaxzevria; Serum Institute India (SII) Covishield; e SK Bioscience), mas todos os quais dependem dos dados clínicos básicos da AstraZeneca para avaliação regulatória e estão incluídos no procedimento de listagem de uso de emergência da OMS. Consequentemente, essas vacinas são consideradas totalmente equiva lentes, mesmo se produzidas em local de fabricação diferente ou com nome de produto diferente, e essas recomendações provisórias se aplicam universalmente a todas as vacinas ChAdOx1-S. A orientação é baseada na evidência inicial resumida no Documento de referência sobre a vacina AZD1222 contra a COVID-19 desenvolvido pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca e no Documento de referência sobre a doença COVID-19 e vacinas.

Acesse o documento aqui

Supervisão de apoio para vacinação contra a COVID-19. 16 de abril de 2021

A supervisão serve como apoio quando os objetivos são comunicados claramente, os membros da equipe são incentivados a contribuir para a missão, o bom trabalho é reconhecido e os erros são corrigidos construtivamente. As “vitórias” são celebradas por todos, com foco no desempenho e na melhoria contínua. A supervisão de apoio é a uma via bidirecional de aprendizagem. Os supervisores também devem estar abertos a ouvir, validar e documentar boas práticas dos trabalhadores da saúde, compartilhá-las com outros supervisores e buscar oportunidades de promover intercâmbio entre os trabalhadores da saúde. A pandemia global de COVID-19 impõe desafios e estresse a muitos trabalhadores da saúde, que tentam equilibrar responsabilidades pessoais e profissionais e podem enfrentar riscos à sua própria saúde e segurança. A introdução de uma nova vacina, com novas populações-alvo e preocupações adicionais relativas às comunidades, pode aumentar a carga de trabalho dos profissionais. Portanto, os supervisores devem adotar abordagem colaborativa para apoiar os profissionais na introdução da vacina contra a COVID-19. A conscientização sobre desafios enfrentados pelos profissionais e como melhor apoiá-los pode fortalecer o programa de vacinação contra a COVID-19. A lista de verificação a seguir ajuda a orientar o planejamento e a administração da vacinação contra a COVID-19, e promove o bem-estar físico e emocional daqueles encarregados da vacinação. A lista de verificação deve ser usada para permitir resolução de problemas e aprendizagem conjuntas, em vez de simplesmente escalonar os problemas ao próximo nível hierárquico. Embora a lista de verificação se concentre na vacinação contra a COVID-19, a maioria dos princípios também é válida para a supervisão de apoio a serviços de imunização de rotina.

Acesse o documento aqui

COVAX. Pilar de vacinas do acelerador de acesso a ferramentas contra a COVID-19.

O desenvolvimento de uma vacina contra a COVID-19 é o desafio mais urgente de nosso tempo. A pandemia mundial já causou a perda de centenas de milhares de vidas e prejudicou a vida de outros bilhões de pessoas. Assim como reduzir a trágica perda de vidas, a introdução de uma vacina evitará a perda de $375 B1 mensais na economia global. O desenvolvimento de uma ou mais vacinas eficazes é também um dos mais complexos desafios de nossa era. Diferente do desenvolvimento de vacinas no passado, o aumento de escala, fabricação e conclusão de estudos em humanos para vacinas candidatas deve ser feito em paralelo. Mesmo com o investimento acelerado na fabricação e conclusão dos estudos para garantir que as vacinas candidatas sejam seguras e eficazes, nos próximos 18 meses, não há nenhum cenário no qual a oferta excederá a demanda, apesar de que na trajetória atualmente prevista, algumas vacinas candidatasestarão disponíveis dentro desse prazo. Governos são responsáveis perante suas populações e contribuintes e, com tantas vidas e sustentos em jogo, alguns estão compreensivelmente buscando acordos bilaterais com fabricantes a fim de garantir acesso à escassa oferta futura de vacinas.

Acesse aqui o documento

COVID-19 e vacinação obrigatória: Considerações éticas e advertências. Sumário de políticas. 13 de abril de 2021

As vacinas são uma das mais efetivas ferramentas para proteção das pessoas contra a covid-19. Consequentemente, com a vacinação contra a covid-19 em andamento ou em fase de planejamento em muitos países, alguns podem estar levando em consideração a possibilidade de tornar a vacinação contra a covid-19 obrigatória a fim de aumentar as taxas de vacinação e atingir as metas de saúde pública e, em caso afirmativo, em quais condições, para quem e em quais contextos. Não é incomum que os governos e as instituições determinem certas ações ou tipos de comportamento para proteger o bem-estar de indivíduos ou comunidades. Essas normas podem ser eticamente justificadas, pois podem ser cruciais para proteger a saúde e o bem-estar do público. No entanto, como as normas que determinam uma ação ou comportamento interferem na liberdade e na autonomia individuais, elas devem buscar um equilíbrio entre o bem-estar da comunidade e as liberdades individuais. Embora a interferência na liberdade individual por si só não torne uma intervenção normativa injustificada, essas normas levantam uma série de considerações e preocupações éticas e devem ser justificadas pelo avanço de outro objetivo social valioso, como a proteção da saúde pública. Este documento não fornece uma posição que endosse a vacinação obrigatória contra a covid-19 ou se oponha a ela. Em vez disso, ele identifica importantes considerações éticas e advertências que devem ser explicitamente avaliadas e discutidas por meio de análises éticas pelos governos e/ou formuladores de normas institucionais que possam estar cogitando a obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19.

Acesse o documento aqui

Páginas