Atualização das recomendações provisórias da OMS sobre a vacinação contra COVID-19 de gestantes e lactantes, 2 de junho de 2021

Apresentação sobre recomendações provisórias da OMS sobre a vacinação contra COVID-19 de gestantes e lactantes Retrospectiva sobre evidências: Recomendações provisórias da Organização Mundial da Saúde (OMS); gravidez; lactação; rastreamento global de políticas; vigilância de segurança; ferramentas e recursos.

Acesse o documento aqui

Plataforma clínica global para a COVID-19 com módulo de gravidez – CRF-P, versão 8 de abril de 2020, revisou 13 de julho de 2020

Em resposta à pandemia de COVID-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma plataforma de informações clínicas anonimizadas (a “Plataforma de Dados COVID-19”) para que os Estados Partes do Regulamento Sanitário Internacional (RSI) (2005) possam compartilhar dados clínicos anonimizados com a OMS, relativos aos pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por SARS-CoV-2 (coletivamente “dados anonimizados da COVID-19”). Os dados anonimizados da COVID-19 recebidos pela OMS continuarão sendo de propriedade da Entidade contribuidora e serão usados pela OMS para fins de verificação, avaliação e assistência de acordo com o RSI (2005), inclusive para informar as respostas da saúde pública e operação clínica relacionadas ao surto de COVID-19. No intuito de ajudar a alcançar esses objetivos, a OMS definiu um Grupo de Assessoria Clínica para aconselhar a OMS a respeito das notificações e análises globais dos dados clínicos de COVID-19.

Acesse o documento aqui

Orientação para manejo de caso clínico de síndrome de trombose com trombocitopenia (TTS) após vacinação para prevenir doença por coronavírus (COVID-19). Orientação provisória. 19 julho 2021

O objetivo deste documento é fornecer orientações provisórias sobre o reconhecimento e o manejo clínico desse evento adverso raro, conhecido como síndrome de trombose com trombocitopenia (TTS), após a vacinação. Essa síndrome recentemente relatada recebeu diferentes nomes, incluindo trombocitopenia trombótica imune induzida por vacina (VIITT), trombocitopenia imune protrombótica induzida por vacina (VIPIT) e trombocitopenia trombótica induzida por vacina (VITT). No presente documento, o termo TTS será usado no contexto de vacinas de vetor de adenovírus contra COVID-19, a menos que especificado de outra forma.O conhecimento sobre a TTS após a vacinação com uma vacina de vetor de adenovírus COVID-19 está evoluindo rapidamente. Este documento tem como objetivo aumentar a conscientização sobre a TTS no contexto da vacinação contra COVID-19 e, assim, ajudar os profissionais de saúde na avaliação e manejo de possíveis casos de TTS. As pessoas e os profissionais de saúde devem estar cientes dos sintomas de uma possível TTS para permitir o diagnóstico imediato e o tratamento precoce. Os profissionais de saúde devem estar cientes dos testes de diagnóstico relevantes e saber quais tratamentos devem ser administrados e quais devem ser evitados. Este documento analisa as informações existentes sobre a epidemiologia, os fatores de risco, a etiologia, o diagnóstico e o protocolo de manejo clínico para TTS com considerações específicas para países de baixa e média renda (PBMRs). Ele será revisado à medida que surgirem novas evidências.

Acesse o documento aqui

Corticosteroides para COVID-19. Orientação provisória. 2 de setembro de 2020

Questão clínica: Qual é o papel dos corticosteroides sistêmicos no tratamento de pacientes com COVID-19? Público-alvo: O público-alvo consiste principalmente de médicos, seguido por tomadores de decisão na área de saúde. Prática atual: Os corticosteroides têm recebido atenção mundial como um tratamento potencialmente efetivo para a COVID-19. Esta orientação foi iniciada em 22 de junho de 2020 com a publicação do relatório preliminar do estudo RECOVERY, (1, 2) que agora foi publicado como artigo revisado por pares. Os corticosteroides fazem parte da lista modelo de medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde (OMS), prontamente disponíveis em todo o mundo a um baixo custo e de considerável interesse para todos os grupos de interessados.

Acesse o documento aqui

Hipertensão e COVID-19. Informe científico. 17 de junho de 2021

Doenças crônicas não transmissíveis já foram identificadas como fatores de risco para infeção pelo SARS CoV-2 e como fatores prognósticos de quadro grave de COVID-19, além de outros desfechos desfavoráveis (por ex., internação em unidades de cuidados intensivos ou mortalidade). A hipertensão é uma doença não transmissível que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Ainda não se sabe se a hipertensão arterial aumenta o risco de infeção pelo SARS CoV-2 ou o risco de quadro grave de COVID-19. Como base para este informe científico, uma rápida revisão sistemática foi encomendada para examinar se a hipertensão aumenta o risco de infecção pelo SARS CoV-2 e o risco de quadro grave de COVID-19. Este informe resume o papel da hipertensão como fator de risco e prognóstico na COVID-19, identificando, ao mesmo tempo, lacunas de pesquisa e conhecimento.

 

Acesse o documento aqui

Ficha Informativa. Plataforma Clínica Global de COVID-19 para caracterização clínica e gestão de pacientes hospitalizados com suspeita ou confirmação de COVID-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) convida seus Estados Membros, serviços de saúde e outras entidades para contribuírem com a OMS na vigilância de dados clínicos de casos de pacientes hospitalizados com COVID-19, a fim de melhorar o entendimento global sobre a apresentação clínica dessa doença. A análise de dados clínicos padronizados e anônimos do mundo todo é essencial para o desenvolvimento de diretrizes baseadas em evidências para o manejo clínico da COVID-19 e para subsidiar respostas de saúde pública.

Acesse o documento aqui

Especificações técnicas para seleção de testes diagnósticos in vitro essenciais para SARS-COV-2. 14 de junho de 2021

As especificações técnicas permitem que os gestores/agências de compras adotem abordagem sistemática e livre de viés no processo de seleção de produtos médicos. Essa abordagem resulta na compra, locação ou doação de artigos adequados, em conformidade com as necessidades de cadanível de atenção do sistema de saúde com os requisitos locais. Elas também instruem os profissionais de engenharia biomédica, o setor privado de saúde, a indústria de dispositivos médicos, as agências intergovernamentais e internacionais sobre as caraterísticas dos produtos necessários. O objetivo desta publicação é fornecer informações relativas a especificações técnicas dos testes de antígeno e testes de ácido nucleico (em inglês, NAT – Nucleic Acid Test) para o SARS-CoV-2.

Acesse o documento aqui

Tratamento clínico da infecção respiratória aguda grave quando há suspeita de infecção pelo novo coronavírus (2019-nCoV).

Essa é a primeira edição deste documento para o novo coronavírus, publicação de uma adaptação do manejo clínico da OMS sobre a infecção respiratória aguda grave quando há suspeita de infecção por MERS CoV (2019). Este documento destina-se aos clínicos que cuidam de doentes adultos hospitalizados e pediátricos com infecção respiratória aguda grave quando há suspeita de infecção pelo 2019-nCoV. Destina-se a reforçar a gestão clínica desses pacientes e fornecer orientação atualizada. As melhores práticas são essenciais, incluindo a prevenção e controle de infecção e os cuidados de apoio otimizados para doentes graves.

Acesse aqui o documento

Uso de exames de imagem de tórax na COVID-19: guia de aconselhamento rápido. Anexo B da internet. Tabelas de evidências para a tomada de decisão GRADE

Uso de exames de imagem de tórax na COVID-19: guia de aconselhamento rápido Anexo B da internet. Tabelas de evidências para a tomada de decisão GRADE

Acesse o documento aqui

Nota Informativa da OMS COVID-19: Considerações sobre cuidados com a tuberculose (TB). 5 de maio de 2021

Esta nota Informativa destina-se principalmente a profissionais de saúde e elaboradores de políticas públicas envolvidos no tratamento de pessoas com TB e na gestão de serviços de TB durante a pandemia de COVID-19. Ele baseia-se em questões que, muitas vezes, surgem durante os trabalhos contínuos para prevenir e o atendimento da TB. Ele será atualizado à medida que surjam novas evidências. O documento está disponível na página do Programa Global de TB da OMS (httpspublic://p1ffr2tvv1163k16f5jsc2hst3n4.jpgwww.who.int/health-topics/tuberculosis). Enquanto o mundo continua enfrentando a pandemia de COVID-19, é importante garantir que serviços e operações essenciais para outros desafios de saúde de longa data continuem protegendo a vida das pessoas com tuberculose (TB) e outras doenças ou quadros de saúde. Os serviços de saúde, incluindo programas nacionais de combate à TB, precisam trabalhar ativamente para garantir uma resposta eficaz e rápida à COVID-19, além da manutenção dos serviços de TB. Os trabalhos de modelagem empreendidos em 2020 indicaram que, se a pandemia de COVID-19 causasse uma redução global de 25% na detecção de TB prevista durante seis meses, poderíamos esperar um aumento de 26% nas mortes por TB, o que nos levaria de volta aos níveis de mortalidade de 2012. A Organização Mundial da Saúde (OMS) está aconselhando os estados-membros encarregados da resposta à atual pandemia de COVID-19. O Programa Global de TB da OMS, juntamente com os escritórios regionais e nacionais da OMS, elaborou esta Nota Informativa, em colaboração com outras partes interessadas. Esta nota destina-se a ajudar os programas nacionais de TB e os profissionais de saúde a manter urgentemente a continuidade dos serviços essenciais para as pessoas acometidas pela TB durante a pandemia da COVID-19.

Acesse o documento aqui

Páginas